quarta-feira, janeiro 8

De quando eu não acreditei

Se o corpo treme,
A mente não foca
E choro,
Desesperada,
A culpa não é sua.

São dos dias.
Das palavras vazias,
Das mentiras infinitas.
Eu tola acreditando.

Você, não se preocupe
Que o tremor passa
O coração acalma
A alma chora.

O tempo há de cicatrizar.

O corpo dói 
para me lembrar 
Que confiança também 
morre.
E morrer machuca.