quarta-feira, março 3

Útil inutilidade

Eu sei que ninguém merece o modo de escrever da Veja nem seus escândalos manipulados ou seu poder  duvidoso de formar opinião. Mas nem tudo é tão ruim. A editora Abril disponibilizou um acervo digital das edições da revista, que vão desde 1968 - depois do golpe, para minha tristeza - até 2010. Fato que eu não li todas as reportagens, só as da semana de 10 de dezembro de 1991. É interessante olhar as grandes novidades, como quando primeira dama escolheu o corte de cabelo pelo computador ou os argentinos estavam numa boa situação econômica e viajavam pelo Brasil. Ainda assim, o que mais me chamou a atenção foram as propagandas da época - os PCs revolucionários, os cigarros circulando livre na mídia e toca CDs "compactos" - e a pequena margem lateral, o que é bem irritante. Vale a pena dar uma olhada, nem que seja pra estudar história.

 
1212ª edição - 1991

1ª edição - 1968

__________
Ando muito jornalística ultimamente, vou para com isso.
E eu estou morrendo de vontade de trocar de layout, socorro.

4 comentários:

  1. "Quase" não mancha a pele é ótimo.

    ResponderExcluir
  2. Ri do quase também! Lembro que esse tipo de computador-monstro era os que tinhas na minha sala de informática na segunda série... hahaha

    ResponderExcluir
  3. Juro pela minha alma que até meados de 1995, o revolucinário PS/2 IBM ainda habitava o escritório do meu pai aqui em casa. Pesava uns 70kg e acho -apenas acho- que ele era um Transformer.

    ResponderExcluir
  4. haha Com qualquer revista, quando a gente olha as edições antigas se diverte com as propagandas e todas as diferenças.
    Uns dois semestres atrás, fiquei num grupo que estudou a Super Interessante. Ri muito com umas propagandas, principalmente as da Capricho xD haha

    ResponderExcluir