segunda-feira, janeiro 18

Dias abafados

E sabe qual é a dor maior nesses tempos de mudança? No final, ninguém se importa. Ninguém sente falta, ninguém nunca mais liga. E todos viram conhecidos, as pessoas que você jurava serem seus melhores amigos. As exceções são pouquíssimas... Já aconteceu antes e será exatamente igual agora. Não vão mais se importar, porque nunca se importaram, porque nunca fez diferença para eles. E você fica esperando um telefonema no aniversário, um convite para sair ou mesmo um recadinho discreto solto por aí. E ele não vem, esqueceu de vir, se perdeu. Odeio a idéia de que pessoas são substituíveis. Odeio a impressão de ser substituída. (Um detalhe: não se pode perder um lugar que nunca foi seu).

5 comentários:

  1. Eu ficarei exorbitantemente chateada se eu estiver inserida na ideia desse texto. Prefiro não me estender muito por aqui citando os motivos...

    ResponderExcluir
  2. Fato o encerramento. Mas eu acredito que sempre há fé nas reviravoltas de cada esquina e que, o "destino" sempre dá um jeito de colocar pessoas novas ou melhores do que antes perto de nós =)
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. perfeito como se encaixa direitinho pra mim agora. lindo e triste.

    ResponderExcluir
  4. Mas existe uma coisa maravilhosa dessa dor... Depois de muito tempo, olhar para trás e ver as pessoas que ficaram. Uma ou duas, eternas e maravilhosas, que mostram que tudo aquilo valeu realmente a pena.

    ResponderExcluir
  5. Nao se pode perder um lugar que nunca foi seu.. Tenso isso

    ResponderExcluir