quarta-feira, setembro 30

Iaiá

No outro dia,
em meio às tantas vezes que a porta se abria,
ele não saia.
Ouvindo a melodia
que a parede continuamente emitia,
ele se escondia.
Não queria, não ouvia,
ninguém mais sorria.
Era água fria
que vinha e não ia
- nada voltaria
nem nunca passaria.

2 comentários:

  1. Mas que bela poesia escrita por ti, guria! Também sei rimar... =P
    Obrigado pela força com nosso blog! Sua opinião é importante para nós.

    ResponderExcluir
  2. acho que plasmei uma prisao

    ResponderExcluir