quinta-feira, novembro 27

Tudo em paz do reino da química



Ninguém me telefonou enquanto eu dormia.

quarta-feira, novembro 26

Tédio (com um T bem grande pra você)

No auge da minha desocupação pós-aulas resolvi arrumar todas as minhas coisas de escola e acabei descobrindo que na minha 5ª e 6ª série eu era uma verdadeira poeta. Vejam só:

A Redação

A professora me pediu
para fazer uma redação:
"Quero uma para a amanhã!
Nada de enrolação!"

Que ruim, professora,
hoje estou sem inspiração.
Com certeza foi o pior dia
para passar uma redação.

Mas, vamos lá,
o que posso fazer?
Verei no que vai dar
quando eu terminar de escrever.

Olho para lá, olho para cá,
nada me vem à cabeça.
A professora disse que vale nota
ela quer que eu enlouqueça!

Ninguém quer me ajudar,
dizem que eu tenho que me arranjar.
Mas como vou fazer tudo
se não consigo nem pensar!

Falta só mais um pouquinho
para a meia-noite e meia
vou terminar essa redação
nem que eu madrugue a noite inteira!

Mesmo sem imaginação
acho até que ficou bom.
O que você acha, professora,
da minha "linda" redação?

Misteriosamente, não encontrei nenhum vestígio de leitura estranha na minha folha. Acho que acabei levando zero nesse dever de casa. Achei outras coisas aqui, inclusive listas vergonhosas de "os mais lindos/feios/inteligentes/burros" da minha pobre 601, desenhos produtivos nas folhas de inglês e uma entrevista com o Daniel Radcliffe, dizendo que ele queria montar uma banda após gravar Harry Potter.

Acho que deve ter mais de uma tonelada de folhas escolares minhas guardadas. Não sei o por quê, mas tenho um grande apego por todas elas... Vai ver é por causa da minha péssima memória. Acho que esse é o mesmo motivo pelo qual eu tenha tirado centenas de fotos no show do Zeca Baleiro, vou esquecer tudo daqui há alguns anos. Mas enfim, se alguém quiser doar envelopes de papel, eu aceito; ainda tem 5ª e 6ª séries para eu arquivar por aqui. Minha mãe me fez prometer que vou jogar tudo no final do ano que vem, mas estou pensando seriamente nisso... Enfim, daria pra fazer uma grande fogueira.


Aliás, alguém tem alguma notícia sobre a tal banda? [sic]

sábado, novembro 22

Em Marrocos


Etnemetnegru oãçcif ed orvil mu me açebac ed rahlugrem osicierp.
Ainafipe amu ed, zevlat, uo.

segunda-feira, novembro 17

Tudo tem cor


Segunda-feira é azul do céu e sexta é vermelho escuro; terça-feira é laranja, quinta é amarelo e quarta um lilás meio branco gelo, quase azul de roupa de bebê. Sábado e domingo são branco e preto, preto e branco.

Os números pares são azul Royal. Zero é preto. Os ímpares são vermelho vivo. Menos o um; o um é branco.

Inglês é azul claro, português é azul escuro e alemão é rosa salmão, tipo parede de avó. Geografia sempre foi roxo e história sempre foi cor-de-envelope-pardo, mas nunca foi pardo. Matemática é vermelho cor-de-tomate e biologia todos os tons de verde juntos, em degradè.

Engenheiros do Hawaii é magenta, Legião Urbana é azul petróleo e Paralamas do Sucesso é laranja cor-de-terra. Paul é verde, John é azul chiclete, George é rosa, Ringo é amarelo. Se estivessem todos juntos, seriam todas as cores que existem, menos as feias e as tristes.

Lucíola vai do dourado ao cinza azulado, passando por verde musgo e pelo vermelho rosado, meio rosa avermelhado. Gonçalves Dias é verde e marrom, mas também é vinho, como capa de livro antigo; Goethe é laranja cor-de-laranja. Machado de Assis só poderia ser marrom, marrom clorídrico. Ubaldo é cinza – vai ver é culpa das páginas do jornal. Clarice é indescritível, insaciável, incompreensível, inodora e incolor, mas tem gosto de simpatia. Meu caro Jung não me deixou escolher cor.

O império é amarelo dourado e a república é azul arroxeado. Anarquismo é vinho avermelhado e socialismo é quando a neve se mistura com o azul do dia de céu mais límpido. Capitalismo é branco com bordas pretas e grossas, com um ponto final quadrado.

Para mim, tudo é cor. E a cor que eu queria ver agora é um verde azeitona, meio amarelo de folha seca e quase marrom, daquele que só aparece no outono. São esses olhos que eu amo.

__________

O caixão não foi suficiente pra segurá-lo, ele quis voltar. Entenda como quiser.

terça-feira, novembro 11

Fragmento de pensamento

É humanamente impossível viver só e ainda
assim a maior ocorrência é de não-humanos.

quinta-feira, novembro 6

O céu também


Então, é tudo meu ponto.